Campos Salles Fotografia

Fotografia e Birding

A história de um lifer.

Posted by campossallesfotografia em 25/09/2010

Assim que cheguei na Pousada Embiara, nas margens do Rio Negro, em Aquidauana MS, perguntei ao Paul, o dono, se ele ouvia corujas por alí. Imaginei que sim pois a pousada fica instalada bem dentro de uma mata. A resposta era a que eu mais esperava, pois é um bicho que procuro faz tempo: “sim claro, temos a coruja-preta aqui, ela canta direto atrás da pousada!”

Não precisa nem dizer que fiquei super ansioso, esperando cair a noite. Assim que escureceu fui com um cliente e o Paul fazer uma caminhada numa estradinha dentro da mata. Logo encontro uma mãe-da-lua-gigante (Nyctibius grandis), um bicho realmente grande, com 50 cm, ainda vimos ele voando – envergadura enorme! E o mais legal é que ele estava cantando. É um som muito estranho…

Nyctibius grandis gravado por Sebastian Herzog na Bolivia.

Depois disso andamos mais um pouco e ouvimos um barulho alto de um bicho andando ao lado da estrada, a poucos metros de nós. Ele estava se movimentando, aparentemente nervoso pois fazia corridas curtas. Era uma anta com seu filhote, um de cada lado da estrada e nós no meio! Infelizmente não conseguimos ver nenhum dos dois, mas também não insistimos muito pra não estressa-los demais.

Um pouco a frente ouvimos vários caburés (Glaucidium brasilianum) cantando, mas nada da coruja-preta. Estava muito cansado da viagem longa daquele dia, fica pra outra noite. Só que nas duas noites seguintes o tempo esfriou bem e estava ventando, bem difícil pra coruja. Até tentei o playback mas nada, nenhuma resposta. Já estava achando que, mais uma vez, essa coruja ia me iludir.

Somente na quarta noite finalmente ela resolve cantar. Era uma noite mais quente e bem calma, embora sem lua alguma. Ouvimos ela cantando em uma árvore grande atrás da sede da pousada. Fui com o Stephan, filho do Paul, chamei com playback e ela veio na hora! Nem acreditei, ali na minha frente uma coruja-preta (Strix huhula). Fiz várias fotos, mas a melhor mesmo saiu no dia seguinte, quando ela apareceu novamente. Dessa vez não foi preciso nem fazer playback.

Strix huhula gravada por Myriam Velazquez no Paraguai. Canto similar ao que ouvi na maioria das vezes na Embiara.

Coruja-preta (Strix huhula). Nikon D700, Nikkor 600mm, SB-900

Anúncios

2 Respostas to “A história de um lifer.”

  1. Ricardo Lima said

    Rapaz você é mesmo um felizardo! Sai atrás de coruja e de quebra encontra anta!!! Valeu a imagem, parabéns!. Abs,

  2. Guilherme Ortiz said

    É isso aí Octavio! Coruja é na insistência, aquela vez na Fazenda São João levamos um baile das S. huhula, mas dessa vez você conseguiu. E é a melhor foto que já vi da espécie. Imagino como deve ter sido ver um bicho desses na luz da lanterna, deve ter sido emoção parecida com a S. virgata da Guainumbi. Show cara, parabéns!! A próxima quem sabe não é um Asio flammeus, acredito que se dermos uma procurada a gente acha ela!

    Abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: