Campos Salles Fotografia

Fotografia e Birding

Carta aberta ao Itaú BBA, assunto: AVISTAR

Posted by campossallesfotografia em 07/07/2010

O concurso de fotografia de aves patrocinado pelo Itaú BBA atingiu rapidamente status de um dos maiores concursos de fotografia do país. São milhares de fotos enviadas de todas as regiões. Eu tive a felicidade de ganhar o concurso em 2007, mas isso não me impede de fazer as críticas abaixo:

Antes de mais nada gostaria de dizer que a organização do evento AVISTAR é excelente. Não é a toa que o evento vem crescendo e chamando atenção inclusive fora do país. No entanto o mesmo acaba manchado negativamente por algumas cláusulas no contrato de cessão de direitos do Itaú que estão ficando cada vez mais latentes em meio à comunidade de fotógrafos. Me refiro às cláusulas abaixo, presentes no último concurso realizado (aliás tbm vale pro concurso de árvores floridas, organizado pelo Itaú também).

“CONSIDERANDO, finalmente, que o CEDENTE deseja ceder todos os direitos autorais patrimoniais relativos à FOTO ao CESSIONÁRIO, mediante o recebimento do prêmio-aquisição, conforme definido no regulamento do CONCURSO e descrito na Cláusula Segunda abaixo,…”

“…Em decorrência da PREMIAÇÃO o CEDENTE, assim, dispondo de seus direitos, cede e transfere definitivamente, como de fato cedido e transferido tem, ao CESSIONÁRIO, todos e quaisquer direitos patrimoniais autorais decorrentes da FOTO.”

Primeiro que não existe possibilidade, segundo a Lei de Direitos Autorais nº 9.610, de ceder os direitos autorais. Você pode até ceder os direitos patrimoniais (direitos de comercialização), mas o autor da foto sempre será o fotógrafo, hoje ou daqui 3 mil anos! Aliás vale lembrar que é obrigação citar sempre o nome do autor da foto. Cessão de direitos autorais não existe. Não no Brasil.

Enfim, as cláusulas acima são absurdas e ferem o trabalho dos fotógrafos profissionais. Não existe no mundo nenhum concurso de fotografia de nome e prestígio que tenham tais cláusulas! De forma geral eles pedem o direito da foto pra usar apenas na própria divulgação do concurso e nada mais! Ou seja, o fotógrafo poderá continuar comercializando sua foto premiada, e assim garantir seu ganha-pão.

Será que o Banco Itaú, um dos maiores do mundo, realmente precisa fazer essa jogada pra conseguir um banco de imagens de fotos de aves e árvores floridas a um custo baixíssimo? O Itaú não pode pagar o devido uso da foto pra usar, por exemplo, em capas de talões de cheque? É óbvio que sim.

Pior do que a questão financeira, é que o concurso vai perdendo o prestígio que ganhou ao longo dos anos. Sei que no último concurso muitos fotógrafos profissionais já não participaram, e eu me incluo nessa lista. E só volto a participar quando as regras mudarem. Quando os fotógrafos profissionais abandonam um concurso quem sai perdendo é o próprio concurso, pois o nível das fotos tende a cair. Não que não existam fotógrafos amadores muito competentes, é claro que sim! Mas no geral os profissionais passam mais tempo em campo e têm acesso a bons locais de fotografia com mais frequência, portanto criam grandes imagens com mais frequência também. São essas grandes imagens que tornam um concurso de fotografia famoso. Um concurso de fotografia sem grandes fotografias é um concurso falido.

Já existe um movimento, criado por integrantes da AFNATURA e do Foto Clube BH, chamado “Concurso Pé de Chinelo”. O movimento é contra qualquer concurso que fere os direitos básicos dos fotógrafos. Nos seus poucos meses de vida já tiveram sucesso mudando o regulamento de pelo menos um concurso. Pode ter certeza que os 2 concursos que o Itaú patrocina, o Avistar e o Árvores Floridas, também serão alvo de protestos, que conta inclusive com o apoio de parte da mídia. Novamente, o maior perdedor serão os concursos, que vão perder prestígio. De tabela suja também o nome do patrocinador. Pedir todos os direitos das fotos é atitude de concurso de esquina, amador. Não é atitude de um concurso do porte de um AVISTAR.

Mas a intenção não é só criticar, mas também e principalmente dar sugestões na esperança de mudanças, pois é de meu interesse que o AVISTAR cresça cada vez mais em pról de nossas aves. Minhas sugestões:

1) Alterar as cláusulas citadas pro próximo concurso, pedindo o uso apenas para a promoção do próprio concurso ou, no máximo, para uso pelo Banco Itaú apenas e, é claro, sem exclusividade. Isso é o mais importante.

2) Cobrar taxa de participação, que deve ser baixa para não limitar muito, algo como R$ 10,00 ou R$ 20,00. O dinheiro arrecadado poderia ser revertido para ações de proteção ambiental durante o evento AVISTAR. Certamente ía ficar muito bonito pra imagem do Itaú e, tenho certeza, grande parte dos participantes não iria se importar de pagar a taxa nessas condições. É isso que muitos concursos lá fora fazem. Está aí a oportunidade do Itaú inovar e sair na frente, em nome da sustentabilidade que tanto anunciam.

Caso contrário, vem chinelada por aí!

Vamos engrossar o coro, se você concorda com o que eu disse deixe o seu comentário aqui no blog!! Pode ter certeza que os organizadores do concurso vão ler isso e quem sabe não vem uma mudança aí pro concurso de 2011!

Anúncios

12 Respostas to “Carta aberta ao Itaú BBA, assunto: AVISTAR”

  1. Concordo plenamente Octavio.

    Eu mesmo sou um fotógrafo amador que amo fotografar natureza, tenho estudado muito e investido muito também, pensei em participar do concurso mas quando vi que existia este tipo de cláusula eu desisti. E outros bancos estão fazendo a mesma coisa para criar seus bancos de imagens.

    E a idéia de reverter o dinheiro das inscrições para preservação é de muita valia.

    Ótima iniciativa. Agora vamos torcer para que passemos a dar valor a arte da forma correta!

  2. Ricardo Lima said

    Tenho acompanhado a “saga” dos promotores de concursos e vejo uma coisa comum a todos eles. A fome de interesse em trabalhos dos outros. Não tenho conhecimento na música por exemplo, de concursos onde o autor tenha que ceder os seus direitos autorais. Por que essa avidez pelo trabalho dos fotografos?. Ainda bem que o mundo da fotografia está acordando.Abs,

  3. Adaly Pinheiro Junior said

    Concordo plenamente com essa posição. Apesar de ser apenas um amador, deixei de participar de vários concursos por causa das cláusula abusivas. Inclusive desse.

    Os fotógrafos não devem abrir mão de seus direitos autorais (que não existe, segundo a lei 9.610) e de seus direitos patromoniais.

    De que vale ter uma foto premiada se não pode mais ser usada por seu autor?

    Palmas pela iniciativa.

    Com a palavra o Banco Itaú…

  4. Ederson said

    Olha, no caso do Avistar, até não acho algo absurdo, pois só cede os direitos quem é premiado (pode ser apenas premiado com menção honrosa de R$ 500,00, mesmo assim é um prêmio). São prêmios-aquisição, que te pagam, em tese, pelos direitos patrimoniais da fotografia.

    Muito pior são os concursos que ficam com os direitos de todas as 30 ou 40 imagens selecionadas para “a exposição”, mas só premiam 2 ou 3.

    • Ederson, os 2 são completamente absurdos. Não existe na fotografia a aquisição de todos os direitos patrimoniais da foto. Fotografia não é como um produto qualquer que vc vende, mas sim licencia pra certo uso. Em um concurso um fotografo tende a mandar suas melhores fotos, e aí se ele é premiado como menção honrosa? Vai ceder uma de suas melhores fotos pra sempre por míseros R$ 360,00 (não é R$ 500,00 como eles anunciam, pois eles descontam os impostos sobre esse valor).

  5. Wagner said

    Sou um fotógrafo “pé-de-chinelo” e chinelo velho ainda… Mas apoio totalmente o que você me diz. Sou cirurgião e se o concurso fosse na medicina a proposta seria mais ou menos assim: “O cirurgião que fizer a cirurgia mais correta tecnicamente e com melhores resultados para o paciente cederá seus honorários médicos ao banco assim como a divulgação dos resultados positivos para a instituição citada”. Isso é um absurdo! Fotografia é sua profissão! Que o Itaú vá se lixar…

  6. Roberto diogo said

    Olá, tambem sou fotógrafo amador, um amante da fotografia e a muito tempo venho observando as várias e justas reclamações dos colegas contra este abuso, gostaria de parabelizar o autor desta carta e dar a ele o meu total apoio, acho ainda que não podemos deixar de divulgar este protesto enquanto não obtivermos uma resposta do Itaú, do qual sou cliente, e que ela seja positiva, apenas por ser justa, caso contrário, devemos então fazer uma divulgação negativa deste concurso.

    Abraços a todos.

    Roberto

  7. Luis Gomes de Souza said

    Já participei do concurso Árvores Floridas, e com toda euforia de ter ganho uma mençao honrosa, nem li direito os meus nâo direitos. Mas isso é um problema do brasiliero. Muito obrigado, vamos ficar atento.

    Luis Gomes

    Fotógrafo

  8. Deusdete said

    Otávio,

    Também sou fotógrafo amador, já participei do AVISTAR três vezes e fui premiado em duas. Te confesso que nunca tinha parado pra pensar sobre os regulamentos abusivos de alguns concursos, até que o Luiz Claudio Marigo escreveu na “Fotografe Melhor” sobre o tema. Inclusive entrei em contato com ele e conversei um pouco sobre isso, e repito aqui o que disse a ele: para muitos de nós, fotógrafos amadores, mesmo com regulamentos lesivos, estes concursos são talvez a única chance de ter nosso trabalho reconhecido. Porque ninguém quer só fotografar (apesar se ser um grande prazer) e ficar com milhares de fotos guardadas na gaveta. Queremos mostrar nosso trabalho e nada como um concurso de nível nacional pra cumprir este papel.
    Até sugeri ao Marigo que a AFNATURA organize um concurso para resolver esta grande procura. Porque desta maneira além das dicas, estaria dando também a opção para o fotógrafo fugir destes concursos que não respeitam os direitos autorais.

    Espero ter contribuiído de alguma forma.

    Um abraço,

    Deusdete

  9. Concordo plenamente.
    A maioria dos concursos no brasil tem essa claúsula em seus regulamentos e é a causa de muitos fotografos profissionais não participarem mais.

    sempre quis participar desse concurso mais devido isso nunca entrei.

    Espero que depois dessa carta eles revejam o regulamento e mudem.

    Abraço

  10. Wladimir said

    Ola,tambem concordo plenamante com todas as questoes em pauta,gostaria tambem de deixar uma notificação,sou um fotografo amador mas nao concordo com as clausulas determinadas pelo concurso avistar e arvores floridas do bba,no meu caso onde moro tanto quanto nas regiões proximas é praticamente impossivel de se encontrar algum tipo de arvore ou ave ou extinção e tambem tenho certeza que a situação tambem se passa por diversos participantes do Brasil,pois apenas favorece aqueles com maior poder aquisitivo sendo quase impossivel a participação de amadores e daqueles que moram em cidades urbanas,mas quem sabe alguem de maior influencia veja este email e consiga mudar algumas regras neste concurso principalmente se mudar o tema sem tirar o objetivo principal que são as aves e flora.

  11. Concordo plenamente, aliás, participei no inicio pois nao tinha lido as clausulas. No ano seguinte, preferi ficar de fora e justamente por esse motivo nao pretendo partiticipar.
    Desejo que alguem da organizaçao leia isso e resolva mudar, pois terao imagens feitas por muit mais fotografos, inclusive os mais famosos.
    Vamos lá pessoal. Considerem o que sr. Campos Salles esta dizendo.

    Att
    E.PASSARIn PHOTOGRAPHY

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: