Campos Salles Fotografia

Fotografia e Birding

Viajantes do mar

Posted by campossallesfotografia em 20/09/2009

Esses dias atrás fui fotografar pra uma matéria na nova revista Pescaventura, que promete ser bem diferente das outras no mercado, a começar pelo conteúdo especial e pelo material de qualidade (o que inclui as fotografias). Se você gosta de pesca esportiva não pode perder, a 1ª edição estará nas bancas nessa próxima semana.
 
Enfim, a pescaria foi em um parcel a cerca de 70 milhas de Ilhabela, em pleno alto-mar. Aproveitei pra fotografar alguns albatrozes que estavam por alí. Os albatrozes estão entre minhas aves favoritas. A maioria das espécies nidifica em ilhas remotas do Atlântico Sul e vagam pelos oceanos, cobrindo enormes distâncias apenas para capturar alimento e levar de volta para o filhote. São animais feitos para voar. Enquanto a maioria das aves evitam ventos fortes, o albatroz explora esses ventos e voam através dos oceanos praticamente sem bater as asas, apenas planando entre uma onda e outra. A terra firme é uma inconveniente necessidade para a reprodução. Todos os albatrozes são aves oceânicas, muito raramente se aproximando da costa.
Albatroz-de-nariz-amarelo (Thalassarche chlororhynchos), jovem, planando em alto-mar. Nikon D200, Sigma 300mm f/2.8, 1/1250 @ f/5, ISO 320
Albatroz-de-nariz-amarelo (Thalassarche chlororhynchos), jovem, planando em alto-mar. Nikon D200, Sigma 300mm f/2.8, 1/1250 @ f/5, ISO 320

Infelizmente os albatrozes estão entre as aves mais ameaçadas do mundo, sofrendo principalmente com a captura acidental em espinheis da frota de pesca comercial. Há diversas medidas que podem ser tomadas contra essas capturas acidentais, e o Projeto Albatroz é uma ONG que  faz um grande trabalho nesse sentido em águas brasileiras. Outras ameaças à espécie inclui a introdução de ratos e gatos nas ilhas de reprodução e a falta de alimento já que os mares de quase todo o mundo estão sendo criminosamente saqueados.

Albatroz-de-nariz-amarelo (Thalassarche chlororhynchos), jovem. Nikon D200, Sigma 300mm f/2.8, 1/2000 @ f/5, ISO 320

Albatroz-de-nariz-amarelo (Thalassarche chlororhynchos), jovem. Nikon D200, Sigma 300mm f/2.8, 1/2000 @ f/5, ISO 320

 

 

 

 

 

 

   Nessa época do ano, com as águas esquentando (estavam com 23º) os albatrozes começam a migrar no rumo sul. Só vi uns dois albatrozes-de-sombrancelha (Thalassarche melanophris), espécie que é mais comum em águas brasileiras nos meses mais frios. O albatroz-de-nariz-amarelo prefere águas um pouco mais quentes e, por isso, são os últimos a rumar pro sul. Grande parte da sua população nidifica na Ilha Tristão da Cunha, bem no meio do Oceano Atlântico. Me impressiona como esses viajantes marinhos conseguem achar uma ilha pequena no meio de um oceano sem fim. Vi ainda a bonita pardela-de-óculos (Procellaria conspicillata), muitos almas-de-mestre (Oceanites oceanicus), pequenos e que voam bem depressa rente à água, vi também o petrel-pequeno (Puffinus puffinus) e fragatas (Fregata magnificens).

Albatroz em seu ambiente natural. Nikon D200, Sigma 300mm f/2.8, 1/6400 @ f/4, ISO 400

Albatroz em seu ambiente natural. Nikon D200, Sigma 300mm f/2.8, 1/6400 @ f/4, ISO 400

 

 
 
Anúncios

Uma resposta to “Viajantes do mar”

  1. Marcelo said

    Ola Octávio,

    Parabéns pelas fotos, realemente um show de bele e de tecnica.

    Parabéns

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: